Marcos Medeiros, Codinome Vampiro

CategoriaDocumentário, Longa Metragem

ClienteVicente Duque Estrada

Data2018

Informações do ProjetoPesquisa, roteiro, direção e fotografia: Vicente Duque Estrada

Colaboração no roteiro: João Carlos Rodrigues

Roteiro e Edição: Leonardo Duarte

Trilha sonora original: Victor Biglione

Vozes-Locução:

Ricardo Schnetzer(Marcos Medeiros)

Hamilton Rocha (Polícia política)

Desenho sonoro: Vicente Duque Estrada

Edição e mixagem de áudio: Ricardo Mansur

Produção executiva: Cavi Borges

Direção de produção: Clara Fornaciari

Color grading: Elieser Jairo

Finalização: Central da Cor

Produtores associados: Vicente Duque Estrada e Cavídeo produções

Coprodução: CANAL BRASIL

Apoio

Arquivo Nacional – Ministério da Justiça, Central da Cor, CEDOC-Jornal do Brasil, Condomínio Multimídia, Consulado da França - Rio de Janeiro e Institut France-Brasil, Fundação Cinemateca Brasileira, ISKRA e PLUS ULTRA.

Cinebiografia do líder estudantil em 1968, Marcos Medeiros. Documentário acompanha sua trajetória do exílio na França e Cuba, onde filmou com Glauber o longa História do Brasil, e sua adesão à contracultura quando a militância política se torna expressão audiovisual de intervenção na realidade social.

 

Documentário apresenta Marcos Medeiros, um personagem esquecido da nossa história que foi líder estudantil em 1968. Preso, tor- turado, cassado e exilado na Europa, Marcos começou a se dedicar ao cinema, tendo feito curtas com Chris Marker na França, um longa com Glauber em Cuba e depois trabalhado na Itália com Rosselini. de volta ao Brasil, nos anos 80, com a anistia, Marcos inicia um trabalho pioneiro em vídeo, mas não encontra um espaço para viabilizar sua arte que não se identificava com o main stream. A incapacidade de se inserir numa sociedade burguesa e sem utopias leva Marcos à depresão. Morre em 1997 depois de uma longa internação no Pinel.